Bolsa de Valores de Mocambique
CDM 210,00
CMH 890,00
CETA 120,00
EMOSE 20,00
MATAMA 375,00
ZERO 10,00
OT-2005-S2 8.00%
BCI-2009-Sub 27.3125%
MOZA-BANCO-2013-Sub 100.00
CM-2013-S2 26.75%
OT-2013-S4 9.875%
CPC-2014-S1 27.25%
CPC-2014-S2 26.75%
OT-2017-S4 27.50%
OT-2014-S6 10.75%
OT-2014-S7 10.25%
OT-2014-S8 10.125%
Visabeira-2015 13.00%
OT-2015-S1 10.00%
OT-2015-S2 10.00%
OT-2015-S3 10.00%
OT-2015-S4 10.13%
OT-2015-S5 10.50%
OT-2015-S6 10.50%
STB-2015-S1 27.25%
STB-2015-S2 27.00%
STB-2015-S3 27.00%
BNI-2016-S1 23.25%
BAYPORT-2016-S1 31.75%
BAYPORT-2016-S2 32.00%
OT-2016-S1 11.00%
OT-2016-S2 12.75%
OT-2016-S3 29.3125%
OT-2017-S1 27.00%
OT-2017-S2 27.00%
OT-2017-S3 27.00%
Millennium-BIM-2017 23.00%
BAYPORT-2017-S1 29.75%

Decorreu no dia 11 de Dezembro do corrente ano em Maputo, a cerimónia do lançamento do Plano Estratégico da BVM (2017-2021).

 Plano Estratégico  apresenta a visão estratégica, objectivos gerais, desafios, metas e o plano de acção da Bolsa de Valores para os próximos cinco anos, elaborado com o apoio da Financial Sector Deepening Moçambique (FSDMoç). O evento contou com a presença de Instituições Financeiras, Operadores de Bolsa, Empresas Públicas, Instituições de Ensino Superior, Empresários, CTA, Parceiros Estratégicos da BVM, entre outros convidados.

 

Durante a sua intervenção, a Directora Executiva da FSDMoç, Esselina Macome, parabenizou a BVM pelo trabalho que tem estado a empreender para desenvolver o Mercado de Capitais e garantir a inclusão de todos agentes económicos no Mercado Bolsista. Reiterou, o compromisso de continuar a apoiar a BVM no alcance das suas metas e na implementação do seu Plano Estratégico.

 

Por seu turno, Salim Valá, PCA da BVM, fez saber que a BVM prevê adopção de novas tecnologias para aproximar a sociedade aos serviços da Instituição por forma a popularizar o conhecimento sobre o Mercado de Capitais, a Bolsa e sobretudo o seu uso. 

 

Valá explicou ainda que, o Plano Estratégico tem por objectivo desenvolver e reposicionar a BVM no Mercado Nacional, admitir mais empresas a cotação na Bolsa para trazer mais liquidez no mercado e criar oportunidades para que as empresas que procuram financiamento encontrem mais recursos financeiros disponíveis.

 

O Plano Estratégico de Médio Prazo, resulta de um diagnóstico realizado a nível dos principais intervenientes do Mercado de Capitais Moçambicano, designadamente o Supervisor do mercado, Intermediários Financeiros e Operadores de Bolsa, Empresas Emitentes e Investidores. O documento apresenta os principais desafios do Mercado de Capitais e da Bolsa de Valores, no que concerne a Estrutura, Capacitação, Consciencialização, Comunicação e Posicionamento, Legislação e Regulamentação, bem como o Mercado das Pequenas e Médias Empresas (PMEs).

 

De entre várias actividades previstas na estratégia, destacam-se algumas acções relevantes como a introdução de novos produtos financeiros na Bolsa de Valores, para as Grandes, Pequenas e Médias Empresas, oferecendo aos investidores maiores alternativas de investimento, o aumento dos limites de variação de preços estabelecidos no âmbito da negociação na Bolsa de Valores (actualmente de 15% para acções e 5% para títulos de dívida), de modo a proporcionar maior liquidez ao mercado, bem como promover o surgimento de Operadores de Bolsa autónomos.

Destacam-se entre as iniciativas de longo prazo, o desenvolvimento do mercado de financiamento interno, atracção dos Municípios e das Províncias para o mercado Bolsista, a admissão à cotação de instituições e sociedades financeiras e companhias de telefonia móvel.

Fotos do Evento