Bolsa de Valores de Mocambique
CDM 200,00
CMH 800,00
CETA 120,00
EMOSE 20,00
ZERO 20,00
OT-2005-S2 8.00%
BCI-2009-Sub 17.1875%
MOZA-BANCO-2013-Sub 14.50%
CPC-2014-S1 22.75%
CPC-2014-S2 22.25%
OT-2017-S4 27.50%
Visabeira-2015 23.50%
OT-2015-S1 10.00%
OT-2015-S2 10.00%
OT-2015-S3 10.00%
OT-2015-S4 10.125%
OT-2015-S5 10.50%
OT-2015-S6 10.50%
STB-2015-S1 25.00%
STB-2015-S2 23.50%
STB-2015-S3 22.50%
BNI-2016-S1 19.75%
BAYPORT-2016-S1 27.25%
BAYPORT-2016-S2 31.250%
OT-2016-S1 11.00%
OT-2016-S2 12.75%
OT-2016-S3 19.1875%
OT-2017-S1 27.00%
OT-2017-S2 17.50%
OT-2017-S3 27.00%
Millennium-BIM-2017 18.00%
OT 2017 S5 27.50%
OT 2017 S6 24.00%
OT 2017 S7 24.00%
OT 2018 S1 19.00%
OT 2018 S2 10.00%
OT 2018 S3 10.00%
OT-2017-S5 27.50%
OT-2017-S6 24.00%
OT-2017-S7 24.00%

A Bolsa de Valores de Moçambique (BVM) e a Ordem dos Contabilistas e Auditores de Moçambique (OCAM) assinaram recentemente, um Memorando de Entendimento

que visa a colaboração conjunta das duas instituição em iniciativas e projectos de interesse comum no âmbito do papel da contabilidade e auditoria na gestão empresarial e no funcionamento do mercado bolsista.

A parceria entre a BVM e a OCAM tem em vista contribuir para a melhoria contínua do ambiente de negócios e de competitividade das empresas e da economia nacional, através da provisão de informação financeira e de mercado verificável e previsível, promovendo assim as boas práticas de gestão corporativa nas empresas moçambicanas e a cultura do rigor e transparência nas contas.

Esta colaboração inter-institucional irá privilegiar, além da troca de informação regular, a formação das empresas, em particular as PME’s, em matérias ligadas aos Sistemas Financeiros, Gestão Financeira, Fiscalidade, Ética de Negócios, Auditoria e Contabilidade, de modo que as empresas satisfaçam um dos requisitos para a admissão à cotação na Bolsa de Valores, que é a contabilidade organizada e ter contas auditadas.

Falando momentos após a assinatura do documento, o Presidente da BVM, Salim Valá, disse que o memorando ora assinado vai propiciar o desenvolvimento do Mercado de Capitais e incremento das PME’s que estão melhor calibradas a ater um sistema de gestão financeira transparente e escrutinadas pelo público. “Este momento simboliza aquilo que todos almejamos para o bem das PME’s no País, pois permitirá maior transparência, credibilidade e previsibilidade por forma a dinamizar o sistema financeiro e a economia nacional.

Salim Valá garantiu que, a Instituição vai intensificar as acções de disseminação do Mercado de Capitais e do uso da Bolsa, como meio alternativo de financiamento das empresas em particular as PME’s, para viabilizar a sua adesão à BVM.

De referir que com este acordo, as duas instituições estarão melhor apetrechadas para cumprirem o seu mandato, procurando intervir no sentido de melhorar a gestão das empresas e a sua transparência, e permitindo que elas possam beneficiar de mecanismos de financiamento apropriadas através da BVM e possam incrementar a sua visibilidade, transparência e sustentabilidade empresarial.

Fotos do Evento